Impermeabilização

Impermeabilização de lajes com mantas:

  • retirada do telhado para impermeabilização do piso da laje
  • impermeabilização com manta de todo piso da laje
  • impermeabilização de 50 cm de todas as paredes em volta do piso da laje do prédio
  • impermeabilização de 50 cm da parede da caixa d’água
  • recolocação do telhado
  • impermeabilização do telhado junto às paredes que o envolvem

Impermeabilização com impermeabilizantes:

Lajes de concreto; coberturas; telhados e abóbodas.
Características / vantagens:
Excelente aderência a diferentes substratos tais como: concreto e argamassa, telhas de barros, fibrocimento, telhas shingle, madeiras, e impermeabilizações asfálticas sem alumínio ou material antiaderente; impermeável; fácil de aplicar com trincha ou vassourão, permite a fácil impermeabilização dos detalhes; pronto para uso; alta resistência as interpéries; aplicado a frio; alta elasticidade; permite vedar fissuras ativas de até 0,2 MM e passivas de até 0,5 MM; isento de solventes inflamáveis; várias cores.

Base química

Emulsões acrílicas esteiradas especiais.
Qualidade dos substratos; o substrato deverá estar seco, estruturalmente sã, livre de quaisquer tipos de contaminação, partículas soltas, nata de cimento, óleos, graxas que possam impedir a aderência normal do produto.
Com caimento adequado para evitar o acumulo de água sobre o produto.
O substrato deve ser preparado de forma a garantir uma superfície absorvente e resistente. Recomenda-se o jateamento com água em alta pressão, ou o lixamento seguido da lavagem.

Impermeabilização reforçada

O sistema de reforços deverá ser aplicado nas áreas de detalhes como ralos, meias-canas, etc. A colocação deverá seguir o seguinte procedimento:

Depois de aplicada a imprimação, aplique uma demão em quantidade abundante na região a ser reforçada. Antes da secagem coloque sobre a aplicação o reforço com tela com o auxílio de ou rolo maciço. Evite dobras ou a formação de vazios, pois provocarão bolhas quando o produto secar. Quando tiver secado aplicar a segunda demão como seladora e acabamento final.

Notas sobre aplicação / limitações:

Adicionar água no produto apenas para a imprimação.
Proteger a aplicação da chuva por pelo menos 8 horas após o término da aplicação da última demão.
O produto é capaz de tratar fissuras existentes, se após de aplicado o produto por quaisquer que sejam os motivos a superfície fissurar, o produto poderá fissurar também. Não utilizar o produto quando o transito de pessoas e constante.
Não deve ser aplicado em superfície úmidas com umidade maior que 4 %. Não coloque sobre a impermeabilização nenhum tipo de objeto.
Não deve ser utilizado em locais com contato permanente com água, seja a origem o armazenamento, o empoçamento e a condensação.
Para obter uma maior durabilidade e melhor estabilidade de cor recomendamos aplicar uma demão do produto a cada cinco anos.

Impermeabilização das caixas d’água

Impermeabilização – Será retirada toda a restauração solta do interior das paredes das caixas d’águas e logo após será realizado o tratamento e em seguida a impermeabilização.

Em todas as aplicações, será necessário fazer a mistura do produto com cimento. Abaixo explicamos como fazê-lo da forma mais correta e produtiva.

O cimento CPII ou CP III, de qualquer marca em igual quantidade volumétrica a do produto é introduzido aos poucos na resina, sob agitação constante, preferencialmente com uso de furadeira elétrica com disco acoplado na extremidade. Certificar-se de que a mistura esteja bastante homogênea e sem grumos.

Essa mistura deve ser aplicada rapidamente. Não preparar quantidade para mais do que 20 ou 30 minutos de trabalho. Nesse tempo, o filme começa a se formar, ”emborrachando” a mistura o que inviabiliza sua aplicação.
Não adicionar água a essa mistura. Adição de água diminui a elasticidade da membrana.

Este procedimento destina-se a impermeabilização de caixas d’água elevadas, em nível e enterradas, sem risco de pressão negativa.

Emulsões acrílicas são atóxicas e suas membranas podem ficar em contato direto com água potável, sem risco de contaminação. Da mesma forma, não alteram sabor, cheiro, pH ou qualquer outra características da água.

Aplicação de repelentes

Remoção dos excessos de sujeiras, excrementos, ninhos e ovos.
Lavagem com detergente toda a área contaminada esfregando bem e aguardando por 10 (dez) minutos para dissolver a sujeira. Em seguida, fazer a remoção com um pano úmido. Espalhar o repelente em forma continua nos beirais, cumeeiras, calhas e locais de pouso ou infestação, procurando deixar uma largura adequada.

Faça um orçamento conosco sem compromisso

A BRASIL DEDETIZADORA é uma empresa atuante exclusiva da área de controle de pragas urbanas, fundada em 06/06/1995.